quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Resposta atrasada

Ao rever meu camarada Wagner Elias no H2HC, lembrei que ficamos de papear a respeito de um procedimento em alto nível para suspeita de vazamento de dados por comprometimento de um servidor. O tempo estava escasso, muitas viagens acontecendo e o papo acabou não acontecendo.
Ao revê-lo, decidi abordar o assunto neste post aqui.

Basicamente, algumas leis americanas estão requerendo que seja determinada a extensão de um ataque, ao ponto de poder provar que os dados dos clientes não foram comprometidos. Caso a empresa não consiga apresentar provas de que nada foi comprometido, ela está obrigada a reportar a perda publicamente. Outras determinações nesse sentido estão por conta do PCI DSS, um conjunto de requisitos de Segurança de Informações para quem opera com cartões de crédito. Um dos requisitos seria a existência de um procedimento para a equipe de resposta a incidentes que deixasse explícito como agir em caso de suspeita de ataque. O procedimento seria complementar a resposta do incidente, indicando os passos necessários para determinar se houve ou não vazamento de informações privadas, principalmente as info relacionadas a número de cartão de crédito.

Não vou detalhar o procedimento aqui no post, mas a linha seria seguir:

1. Logs de rede relativos a infraestrutura e segurança (logs do firewall, logs dos roteadores, logs de acesso do servidor de dados).

2. Captura de pacotes de rede nas máquinas suspeitas de estarem comprometidas.

3. Imagem da memória das máquinas comprometidas.

4. Imagem forense das máquinas comprometidas.

Os dados dos quatro itens acima, devidamente correlacionados, poderão indicar se houve ou não o comprometimento dos dados. Pelo item 1 é possível verificar aquilo que foi negado ou permitido nas operações, e que podem ter culminado no comprometimento do servidor. Por exemplo, se os dados estão armazenados no servidor de banco de dados, os logs da trilha de auditoria deverão dar indicações do acesso e/ou modificação dos dados.

Como já foi comentado, o servidor com possibilidade de comprometimento não deve ser imediatamente desligado. Antes, deve-se espelhar sua porta no switch para um sniffer que colha informações e pacotes de todas as comunicações para esse servidor. O resultado, geralmente um arquivo pcap, deve ser analisado em busca de palavras chave nos pacotes.

Com o item 3 e 4 conseguimos, a luz de outros procedimentos, definir o que estava na memória e no disco que pudesse implicar ou indicar perda dos dados.

Alguém quer acrescentar algo ?

Até o próximo post !

2 comentários:

S.S. disse...

Tony, em primeiro lugar meus parabéns pelo ótimo conteúdo dos posts.

Para responder de uma maneira mais completa ao problema proposto, o ideal é que a equipe de resposta a incidentes responsável possa contar com 3 tipos de soluções, listadas por ordem de importância para o caso em pauta:

I - Uma infra-estrutura de "Network Forensics" que seja capaz de reconstruir e fazer o "replay" dos pacotes relacionados ao ataque (ex: NetWitness NextGen / CA Network Forensics)

II - Uma solução de SIEM/SEM para correlacionamento em near-real time dos logs (firewall, roteadores, servidor comprometido, ids/ips, dhcp, dns) (ex: ArcSight / ISM Intellitatics / Symantec SIM)

III - Uma solução (idealmente enterprise) de forense computacional que possibilite a análise de dados voláteis (incluindo memória) e de disco (ex: Encase Enterprise / F-Secure / AccessData Enterprise )

[ ]s,

S.S.

Tony Rodrigues disse...

Obrigado, S.S.

Vc tocou em um ponto que eu deixei passar: Embora ainda não seja a realidade nas empresas brasileiras, é cada vez mais importante estar preparado para uma resposta adequada e eficiente a um incidente. Com isso em mente, há hoje disponível um grande arsenal de ferramentas forenses Enterprise. Essas ferramentas, na prática, ficam instaladas esperando o problema acontecer. Quando enfim acontece, elas fornecem a estrutura necessária para prover boa resposta. Os itens que vc mencionou estão ligados a esse conceito. Há em cada um deles a capacidade de prover preparo antecipado ao incidente, e a sua lista foi nota dez. Conheço quase todos por referencias, já vi enormes elogios ao NetWitness, o Encase dispensa comentários e já trabalhamos com o ArcSight. Para a lista ficar completíssima, eu adicionaria no grupo III o F-Response Enterprise. Testei o produto, é fantástico, muito leve, e a versão Enterprise mais nova permite a análise de memória tb (permit o dump, na verdade).

Por fim, dei uma passeada pelo seu blog, que ainda não conhecia, e fiquei muito bem impressionado. Parabéns pelo trabalho, vamos unir as forças para divulgar a Informática Forense nesse Brasilzão !

Grande abraço,
Tony